Fonte: OpenWeather

    Preocupação no Esporte


    Jogos retornam e casos de Covid aumentam entre atletas do Brasil

    Os efeitos do coronavírus afetaram todo o globo. No esporte não foi diferente, vários atletas e clubes foram infectados e precisaram mudar prioridades

    Por conta da pandemia o calendário esportivo foi alterado
    Por conta da pandemia o calendário esportivo foi alterado | Foto: Fernando Moreno/AGIF

    Mortes, falhas na saúde mundial e troca de prioridades em 2020 foram algumas das diversas consequências que a Covid-19 trouxe. No esporte, a pandemia  adiou o calendário do maior evento esportivo: as Olimpíadas, infectou atletas, deixou torcedores foras dos estádios e centenas de atletas pelo mundo, tiveram que lidar com um adversário diferente, um vírus mortal que se espalhou pelo globo. No Brasil, casos entre atletas aumentam. 

    Quase todas as equipes do Brasileirão, tiveram atletas infectados
    Quase todas as equipes do Brasileirão, tiveram atletas infectados | Foto: Thiago Ribeiro/Botafogo

    As ligas de basquete, torneios de artes marciais, abertos de tênis e várias outras modalidades, suspenderam suas atividades no início do ano com a pandemia. O esporte mais conhecido no mundo, o futebol, também paralisou. Competições como a Liga dos Campeões e Libertadores da América também sofreram alterações. 

    Para não prejudicar o ano esportivo, muitos clubes pediram o retorno dos campeonatos, adotando às medidas de segurança dadas pela OMS e pelo Ministério da Saúde.

    Ainda hoje, os torneios não contam com a presença das torcidas, em suas arquibancadas, mesmo assim, houve uma explosão de casos, no futebol brasileiro.

    Casos nos gramados brasileiros

    Nos meses de outubro e novembro, diversas equipes do Brasileirão, registraram casos de Covid-19. O Palmeiras registrou oito desfalques por conta do vírus e a cada dia, a situação fica mais complicada para o clube.

    Na Copa do Brasil, mesmo com vantagem, as ausências preocupam o Palmeiras. Luan, Rony, Danilo, Gabriel Silva, Viña, Vero e Gabriel Menino, recentemente convocados para a Seleção Brasileira, não estarão a disposição do técnico do Verdão. Alam Emperuer, recém chegado ao clube, também testou positivo.

    Encabeçando a tabela do torneio nacional, o Atlético MG teve muitas baixas em seu elenco. Os jogadores realizaram testes na quarta-feira (18), onde foram detectados cinco atletas infectados.

    Antes dos novos casos, o zagueiro Gabriel, o técnico Jorge Sampaoli e toda a comissão técnica, testaram positivo e foram isolados. Os novos desfalques do Galo, são: Réver, Guga, Allan, Victor e Vargas.

    Os casos por infecção aumentam em ritmo acelerado no Brasileirão. A competição segue com o calendário
    Os casos por infecção aumentam em ritmo acelerado no Brasileirão. A competição segue com o calendário | Foto: Fernando Moreno/AGIF

    Atualmente, a situação mais preocupante, está na Vila Belmiro. O Santos registrou mais de dez jogadores com o novo vírus. Depois de exames realizados com a equipe, Ângelo, Vladimir, João Paulo, Lucas Veríssimo, Madson, Diego Pituca, Jobson, Jean Mota, Alison, Sandry e Alex testaram positivo.

    Além dos jogadores, o técnico Cuca, também foi diagnosticado com Covid-19, e foi internado dia 7 de novembro, para recuperação. No sábado (14), o treinador recebeu alta, mas segue sem treinar a equipe por recomendação médica. Ele precisa ficar de repouso até o dia 24 de novembro.

    Mesmo com os casos por infecção, as organizações esportivas parecem não cogitar uma nova paralisação no calendário. No próximo ano, a Olimpíada será um teste para saber se as torcidas podem voltar aos estádio e arenas, ou se os torcedores deverão passar mais tempo longe das grandes competições.

    Primeiro surto em um clube

    Em setembro, o Flamengo foi o primeiro clube brasileiro a ser tomado pela Covid-19. A delegação Rubro Negra voltou do Equador, após partida válida pela Libertadores da América, e, ao serem realizados testes, dezesseis jogadores do elenco apresentaram resultado positivo para o vírus.

    Outros membros do clube haviam sido diagnosticados com a doença, com novos atletas infectados, a equipe registrou mais de 30 profissionais com Covid-19.

    Mais de 30 funcionários do clube foram infectados
    Mais de 30 funcionários do clube foram infectados | Foto: Reprodução Instagram

    Entre os infectados, estavam jogadores fundamentais para a campanha da equipe, como Rodrigo Caio, Bruno Henrique e Everton Ribeiro.

    Com a situação, o time resolveu pedir adiamento de seus jogos a CBF, mas sem sucesso. O time pode contar com apenas dez jogadores de seu elenco principal, tendo que mesclar a escalação com os garotos da base.

    Primeiro caso em um atleta

    O primeiro atleta brasileiro a ser diagnosticado com a Covid-19, foi Maique Tavares, atleta de basquete e pivô do Club Athletico Paulistano. Enquanto esteve em isolamento, o jogador relatou que sentia muitas dores de cabeça, no corpo e, em algumas noites não conseguia dormir. 

    Maique foi o primeiro atleta profissional, no Brasil, a ser diagnosticado com o vírus
    Maique foi o primeiro atleta profissional, no Brasil, a ser diagnosticado com o vírus | Foto: Athletico Paulistano/Divulgação

    O Novo Basquete Brasil (NBB), Campeonato Brasileiro, estaduais e Copa do Brasil, foram adiados. A NBB retornou recentemente, no dia 14 de novembro. 

    Natação Brasileira

    O cenário pandêmico também afetou a natação brasileira. Brandonn Almeida, nadador e medalhista de ouro no Pan-Americano de Lima, testou positivo para o vírus em agosto deste ano, enquanto estava com a Seleção Brasileira, na Missão Europa, em Portugal.

    O nadador sentiu dores de cabeça e como os outros atletas, foi submetido ao teste rápido, onde foi confirmada a presença do vírus. No total, foram 21 dias de isolamento, onde Brandonn ficou afastado do resto da delegação.

    O atleta não pode participar da missão de treinamento, realizado pelo COB
    O atleta não pode participar da missão de treinamento, realizado pelo COB | Foto: Reprodução Facebook

    “Eu não tinha motivação para nada. Parecia que minha energia tinha acabado, em 16 horas acordado, às vezes via uma pessoa no dia, por cinco minutos. Era Brandonn com Brendonn” contou em entrevista.

    Quando finalmente estava livre do vírus, restavam apenas três dias para a Seleção Brasileira retornar ao país. Assim, Brandonn não pode desfrutar dos treinos realizados fora do país.

    Gigante

    O atleta de levantamento de peso, Ricardo Xavier, de 41 anos, o 'Gigante', como é conhecido, foi internado em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI), em Santos, em abril de 2020, com complicações. 

    'Gigante' já foi campeão Sul-Americano, levantando mais de 200kg, mas a força muscular do atleta não era capaz de deter esse inimigo invisível.

    Com forte dores, vômito e falta de ar, Ricardo passou por momentos difíceis. Após 17 dias de tratamento, o atleta se sentia melhor e em um novo exame foi constatado que ele estava livre do vírus.

    Após sua recuperação, o atleta voltou a competir, e ganhou um campeonato em São Paulo, ao levantar mais de 600kh
    Após sua recuperação, o atleta voltou a competir, e ganhou um campeonato em São Paulo, ao levantar mais de 600kh | Foto: Arquivo Pessoal/Reprodução

    “Quase cheguei a ser vencido por essa doença, mas saí vitorioso, sou vencedor e estou vivo”, relatou o Gigante, em entrevista.

    Leia mais: 

    Athletico-PR embala na Série A e impede líder Atlético-MG de disparar 

    Grêmio supera Cuiabá outra vez e avança à Semifinal da Copa do Brasil 

    Fifa propõe licença-maternidade obrigatória para atletas 

     

    Comentários